Notícias


Encontro Estadual busca impedir formação de exército de mutilados e inválidos

22/04/2015





Duas mil pessoas vão se encontrar em Chapecó-SC dia 28 para pedir saúde e segurança no trabalho

 

Nos últimos quatro anos o número de notificações de acidentes e doenças do trabalho cresceu 325% na macrorregião Grande Oeste. No ano passado oito trabalhadores morreram vitimas de acidentes de trabalho. Santa Catarina ocupa o primeiro lugar no ranking nacional de doenças e acidentes no trabalho. No Estado os trabalhadores adoecem 48% a mais que a média nacional. Já o Brasil está na quarta colocação em nível mundial.

 

O movimento sindical e instituições ligadas à área atuam sistematicamente para impedir o crescimento dos números apontados pelas estatísticas, mas o cumprimento da missão, apesar da insistência, tem se mostrado difícil. A irresponsabilidade e o não cumprimento de leis são os responsáveis pela evolução do volume de doenças e acidentes, causados pela indiferença do processo produtivo.

 

Para chamar atenção e promover enfrentamento a esta grave situação, Chapecó vai sediar dia 28 deste mês o Encontro Estadual do Movida - Movimento em Defesa da Vida, Saúde e Segurança da classe trabalhadora catarinense. O ato público deve reunir mais de dois mil líderes sindicais, trabalhadores e autoridades na Praça Coronel Bertaso, após caminhada pela Avenida Getúlio Vargas, a partir das 9 horas.

 

Durante a pacífica manifestação os organizadores apresentarão propostas de apoio e assistência à saúde do trabalhador. Envolvendo as mesmas áreas, serão assinados protocolos de trabalho. O Movida defende pelo menos 15 propostas de proteção ao trabalhador, cuja efetivação é competência dos governos Federal e Estadual, Assembleia Legislativa e setores econômicos. Duas das proposições pedem a criação da Secretaria Estadual do Trabalho e Lei Estadual de Saúde do Trabalhador. Todas as ações envolvem os Ministérios Público do Trabalho, do Trabalho e Emprego e da Previdência Social, para fiscalizar e punir os infratores.

 

Idade tenra - O tema adotado “Trabalhar para Viver, Não para Morrer” evidencia o objetivo central do ato público, promovido por instituições e centrais sindicais como Fetiesc, CNTI, UGT, CTB, NCST, CNTQ, Contricom e União Sindical. O encontro vai mostrar e alertar para o problema “que provoca o adoecimento de 10% da população ativa”, observa o presidente da Federação Estadual dos Trabalhadores nas Indústrias, Idemar Antônio Martini. Acrescenta que “o mais lamentável” é que a maioria das “vítimas” está na faixa etária entre 30 a 40 anos.

 

As cidades com mais acidentes são Joinville, Blumenau, Florianópolis, Chapecó e Itajaí. A atividade mais insegura continua sendo a agroindústria com quase 2.000 afastamentos. Setores têxteis e comércio varejista complementam a relação. Em Chapecó, mais de 1,2 mil ações judiciais colocam o Município como líder no ranking estadual envolvendo este tipo de processo.

 

As normas vigentes “são vagas e insipientes” condena a presidente do Siticom (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Chapecó) Izelda Oro. Ela não tem dúvida que por isso “é preciso agir com mais vigor e evoluir”. A organização do evento reforça, em forma de alerta, que persistindo o atual ritmo de crescimento dos acidentes de trabalho e doenças ocupacionais, um exército de mutilados e inválidos será formado no país.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Siticom




Notícias Anteriores


Plenária Estadual Fevasc - Maravilha SC
Faça parte! Conhecimento e informação podem salvar vidas!
PL 4330/2004 da Terceirização
LEI No 13.136 - Dia Nacional do Vigilante! Parabéns a todos (as) trabalhadores (as) Vigilantes!
Terceirização é importante para cadeia produtiva horizontal
MTE publica Portaria sobre prorrogação de jornada em atividade insalubre
Comunicado de Expediente
Trabalhadores terceirizados da UFSC param por salários atrasados
Trabalhadores terceirizados da UFSC param por salários atrasados
Feliz dia a todas as mães! Deus abençoe e proteja as mães trabalhadoras do nosso Brasil!

Página: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38