Notícias


Sindicatos fazem pressão contra projeto que prevê perda de direitos dos trabalhadores

08/04/2015





Uma caravana com diversos sindicatos da região ligados as principais centrais seguem para Brasília para cobrar dos deputados do Sul o voto contra o Projeto de Lei 4330 de autoria do deputado Sandro Mabel (PMDB) - que tramita na Câmara Federal desde 2004 - previsto para entrar em votação nesta terça-feira, dia 7.

“Estivemos juntos com outras entidades sindicais em reuniões com os parlamentares Geovânia de Sá e Ronaldo Benedet. A deputada federal do PSDB assumiu o compromisso de votar contra o PL 4330 e discutir com os demais parlamentares de sua sigla para que façam o mesmo. Já Ronaldo Benedet (PMDB), não assumiu uma posição, disse apenas que discutirá com o seu partido. O movimento não conseguiu ter uma audiência com o deputadoJorge Boeira (PP), no entanto, o mesmo reafirmou por e-mail, sua posição de quando era candidato à reeleição de votar contrário ao 4330. Até o momento, não se teve reunião e nenhuma manifestação por parte do deputado Edinho Bez(PMDB)”, pontuou presidente do Sindicato dos Bancários, Edegar Generoso.

O PL da terceirização, propõe que toda e qualquer forma de trabalho possa ser contratada de modo terceirizado, “ou seja, o maior retrocesso trabalhista da história da república”, critica Edegar.

Conforme ele, o PL possibilita a contratação de terceirizados sem qualquer espécie de trava, o que significa que todos os direitos trabalhistas conquistados por meio de convenções e acordos coletivos estão próximos de virarem pó.

“Significa que de um só golpe teremos a maior onda de concentração de renda da história brasileira, pois poderá se contratar para a mesma função trabalhadora com salários inferiores e com menor número de direitos”, pondera.

Estudos do Dieese de 2012 apontam que:

Os terceirizados realizam uma jornada semanal de, em média, três horas a mais do que a dos empregados diretos. O que revela que terceirização é sinônimo de mais emprego não passa de uma falácia;

A remuneração dos terceirizados é em média 27% menor que a dos empregados diretos;

A média de permanência dos terceirizados no emprego é de 2,6 anos, e a do trabalhador direto é de 5,8 anos. Uma rotatividade que é de 44,9% nas terceirizadas e de 22% entre os diretamente contratados;

A maior taxa de acidentes de trabalho e mortes em empresas terceirizadas. A cada 10 acidentes 8 são em empresas terceirizadas.

Os Ministros do TST -Tribunal Superior do Trabalho enviaram ao Congresso Nacional um documento onde preveem consequências drásticas para a sociedade brasileira:

O rebaixamento dramático da remuneração contratual de milhões de concidadãos, além de comprometer o bem estar individual e social de seres humanos e famílias brasileiras, afetará fortemente, de maneira negativa, o mercado interno de trabalho e de consumo, comprometendo um dos principais elementos de destaque no desenvolvimento do país. Com o decréscimo significativo da renda do trabalho ficará comprometida a pujança do mercado interno no Brasil;

Essa redução geral e grave da renda do trabalhador brasileiro – injustificável, a todos os títulos – irá provocar também, obviamente, severo problema fiscal para o Estado, ao diminuir, de modo substantivo, a arrecadação previdenciária e tributária no Brasil. 

Colaboração: Maristela Benedet  

Fonte: http://www.engeplus.com.br




Notícias Anteriores


Plenária Estadual Fevasc - Maravilha SC
Faça parte! Conhecimento e informação podem salvar vidas!
PL 4330/2004 da Terceirização
LEI No 13.136 - Dia Nacional do Vigilante! Parabéns a todos (as) trabalhadores (as) Vigilantes!
Terceirização é importante para cadeia produtiva horizontal
MTE publica Portaria sobre prorrogação de jornada em atividade insalubre
Comunicado de Expediente
Trabalhadores terceirizados da UFSC param por salários atrasados
Trabalhadores terceirizados da UFSC param por salários atrasados
Feliz dia a todas as mães! Deus abençoe e proteja as mães trabalhadoras do nosso Brasil!

Página: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38