Notícias


Os bons resultados das negociações dos vigilantes e de asseio e conservação

24/02/2015





         A principal tarefa das entidades sindicais é chegar a um acordo na convenção coletiva que seja de interesse dos trabalhadores. Nas negociações de 2015, a FEVASC, em conjunto com os sindicatos, alcançaram os reajustes de 9,31% e 7,55% para as categorias de vigilância e asseio e conservação, respectivamente. Essas porcentagens significam aumentos salariais acima da inflação, ou seja, ganhos reais na renda do trabalhador, que contribuem para melhoria de vida e favorecem o crescimento da indústria, do comércio e dos serviços na economia catarinense.

Também neste ano, a negociação dos pisos salariais entre as centrais sindicais e as entidades patronais foi bem sucedida ao trabalhador e significou um aumento real médio de 2,4% sobre a renda de um número elevado de empregados catarinenses. A exemplo do que ocorre com o salário mínimo, o incremento de massa salarial proporcionado pelos novos valores dos pisos é direcionado ao consumo dos artigos de primeira necessidade como vestuário, alimentos e transporte, fortalecendo toda a economia do estado.

A negociação coletiva dos vigilantes e asseio/conservação representa um grande número de trabalhadores em Santa Catarina, e, consequentemente, representa boa parte da massa salarial presente na sociedade catarinense. Este fato reafirma a importância de sucessivas convenções bem sucedidas para a economia, já que os reajustes incrementam a massa salarial e possibilitam o aumento da atividade econômica na região. Os salários dos vigilantes, entre 2011 e 2015, conforme se pode visualizar na Tabela 1, aumentaram nominalmente 50,2%, obtendo um ganho real bastante expressivo no período, de 11,1%.

 

Tabela 1. Evolução das negociações dos vigilantes

DB - 1° fev

Vigilância

INPC até a data-base

Ganho real

Ano

Piso

Reajuste

2010

769,06

-

-

-

2011

822,89

7,00%

6,53%

0,44%

2012

901,06

9,50%

5,63%

3,67%

2013

956,93

6,20%

6,63%

-0,40%

2014

1.057,10

10,47%

5,26%

4,95%

2015

1.155,47

9,31%

7,13%

2,03%

Total

-

50,24%

35,30%

11,05%

Fonte: FEVASC

     

Elaboração: DIEESE

     

     A categoria de asseio e conservação também vem obtendo sempre ganhos reais nas suas negociações, conforme se pode observar na Tabela 2. Nota-se que os reajustes salariais desde 2011 acumulam reajustes acima da inflação e, em alguns anos, o ganho real foi bastante expressivo, com destaque para 2012 (que incorporou aos salários o adicional de periculosidade) e 2013, quando o ganho real foi acima de 50% da inflação verificada no período. Os ganhos reais acumulados do pessoal de asseio e conservação, entre 2011 e 2015, atingiram 15,9%.

   

Tabela 2. Evolução das negociações dos trabalhadores em asseio e conservação

DB - 1° jan

Asseio e Conservação

INPC até a data-base

Ganho real

Ano

Piso

Reajuste

2010

587,00

-

-

-

2011

633,96

8,00%

6,47%

1,44%

2012

716,00

12,94%

6,08%

6,47%

2013

787,60

10,00%

6,20%

3,58%

2014

850,61

8,00%

5,56%

2,31%

2015

914,83

7,55%

6,23%

1,24%

Total

-

55,85%

34,50%

15,87%

Fonte: FEVASC

     

Elaboração: DIEESE

     

 

 




Notícias Anteriores


Câmara aprova regime de urgência para projeto que regula terceirização
Sindicatos fazem pressão contra projeto que prevê perda de direitos dos trabalhadores
A Fevasc deseja a todos uma feliz e santa páscoa! Confira nosso expediente.
Reajuste do Piso Regional aprovado por unanimidade
Dias 19 e 20 não haverá expediente na FEVASC. Confira a programação do aniversário da nossa Cidade de São José!
Diretores da FEVASC marcaram presença na mobilização do DIA 13 DE MARÇO – DIA NACIONAL DE LUTA EM DEFESA
Diretores da FEVASC estiveram presente! UGTSC e demais Centrais Sindicais protestam em Florianópolis
Mudanças trabalhistas entraram em vigor
Caged mostra melhora do emprego na indústria
Em 2014, 66 pessoas morreram em assaltos envolvendo bancos

Página: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38