Notícias


Denuncie e diga não à violência contra a mulher

18/11/2014

O dia 25 de novembro foi declarado Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher e a FEVASC quer ressaltar essa data para conscientizar homens e mulheres sobre a importância da denúncia dos casos. Isso porque muitas vezes as vítimas não procuram ajuda e, sem aparecer nas estatísticas ficam ainda mais fragilizadas pela falta do diagnóstico do problema e consequentemente com enfraquecimento das políticas públicas.





Em Santa Catarina, há falta de integração entre os dados. O Estado ocupa a 25ª posição no ranking nacional do Disque 180 – Central de Atendimento à Mulher. Em 2013, foram 8.254 atendimentos. O serviço presta somente orientações a mulheres que precisam de ajuda. A ideia é que ainda neste ano passe a ser integrado às delegacias especializadas, para que possam assim ser feitas denúncias.


As informações da Secretaria de Segurança Pública mostram que a violência contra a mulher ainda cresce. Em 2010, o número de boletins de ocorrência por ameaça em âmbito doméstico foi de 18.200 em Santa Catarina, passando para 20.487 em 2012. Apenas 44% dos mais de 2 mil boletins por estupro resultaram em inquérito policial instaurado. Na 7a edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, SC apareceu como o terceiro Estado com o maior número de estupros. São 40 casos para cada 100 mil habitantes.


ONDE PROCURAR AJUDA


>>> Disque 180

Central de Atendimento à Mulher – funciona 24 horas por dia, de segunda a domingo, inclusive feriados. A ligação é gratuita.

>>> Centros de Referência de Atendimento à Mulher (CRAMs)

Espaços de acolhimento e acompanhamento psicológico e social a mulheres em situação de violência, que também fornece orientação jurídica e encaminhamento para serviços médicos ou casas abrigo. Telefones: (48) 3224-6605 (Florianópolis) ou (49) 3644-2273 (Dionísio Cerqueira).

>>> Centros de Referência da Assistência Social (CRAS)

Unidades públicas que desenvolvem trabalho social com as famílias.

>>> Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher

Órgãos da Justiça ordinária com competência cível e criminal, responsáveis por processar, julgar e executar as causas decorrentes da prática de violência doméstica e familiar contra a mulher.

SAIBA MAIS SOBRE A DATA

O dia 25 de novembro foi declarado no Primeiro Encontro Feminista da América Latina e Caribe realizado na cidade de Bogotá em 1981, como justa homenagem a “Las Mariposas”, codinome utilizado em atividades clandestinas pelas irmãs Mirabal, heroínas da República Dominicana brutalmente assassinadas em 25 de novembro de 1960.

Minerva, Pátria e Maria Tereza ousaram se opor à ditadura de Rafael Leônidas Trujillo, uma das mais violentas da América Latina. Por tal atitude, foram perseguidas e presas juntamente com seus maridos. Como plano para assassiná-las, uma vez que provocaram grande comoção popular enquanto estavam presas, o ditador acabou por libertá-las, para em seguida simular um acidente automobilístico matando-as quando iam visitar seus maridos no cárcere. Seus corpos foram encontrados no fundo de um precipício estranguladas e com ossos quebrados.

A notícia do assassinato escandalizou e comoveu a nação. Suas ideias, porém, não morreram. Seis meses mais tarde, em 30 de maio de 1961, Trujillo é assassinado e com ele cai a ditadura. Inicia-se, então, o processo de libertação do povo dominicano e de respeito aos direitos humanos, como quiseram Pátria, Minerva e Maria Tereza, cuja memória converteu-se em símbolo de dignidade, transcendendo os limites da República Dominicana para a América Latina e o mundo.

 

 




Notícias Anteriores


Diretores da FEVASC estiveram presente! UGTSC e demais Centrais Sindicais protestam em Florianópolis
Mudanças trabalhistas entraram em vigor
Caged mostra melhora do emprego na indústria
Em 2014, 66 pessoas morreram em assaltos envolvendo bancos
Acordo põe projeto sobre terceirização na pauta da Câmara
Feliz dia 8 de Março! Dia Internacional das Mulheres!
Presidente da Fevasc com a Deputada Ana Paula e protetores na defesa de projetos contra maus tratos aos animais e garantia de emprego aos Vigilantes.
Os bons resultados das negociações dos vigilantes e de asseio e conservação
Os vigilantes aprovaram em assembleia o reajuste salarial
Terceirizada que atuava como servidora do Procon vai receber indenização de R$ 70 mil

Página: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38