Notícias


Mercado formal gerou em abril 196.913 empregos com carteira assinada no país

22/05/2013

Desde janeiro de 2011, o crescimento de empregos representou +9,39%, um aumento de 4.139.853 postos de trabalho


O mercado de trabalho gerou em abril 196.913 postos formais de emprego, o equivalente a um crescimento de 0,49% em relação ao estoque do mês anterior, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), divulgados nesta terça-feira (21). 

O desempenho positivo é resultado da geração de 1.938.169 admissões e 1.741.256 desligamentos, os maiores para o período. Somente no atual governo, entre janeiro de 2011 e abril de 2013, o crescimento de empregos representou +9,39%, representando um aumento de 4.139.853 postos de trabalho.

Para o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, que divulgou os dados do Caged nesta terça-feira, os números demonstram a retomada de crescimento do emprego. “Os números são otimistas, pois demonstram crescimento em praticamente todos os setores da economia", avalia o ministro, reiterando a expectativa do ministério do Trabalho de que o país gere 1,5 milhão de vagas este ano. 

No acumulado do ano, o emprego cresceu 1,39%, um acréscimo de 549.064 postos de trabalho, sendo que nos últimos 12 meses esse patamar alcançou 1.087.066 novas vagas, uma expansão de 2,79% no número de empregos celetista no país.

Crescimento generalizado - Pela primeira vez no ano os oito setores de atividade econômica apresentaram crescimento na geração de emprego, sendo o setor de serviços o que mais gerou postos de trabalho, 75.220 novas vagas (+0,46%),seguido da indústria de transformação com 40.603 postos (+0,49%), a construção civil com 32.921 (+1,03%) e a agricultura com 24.807 (+1,59%).

Em termos geográficos a expansão foi verificada em praticamente todas as regiões, com destaque para o sudeste com criação de 127.210 empregos (+0,59) e Sul com mais 39.294 novas vagas (+0,54%). O Centro-Oeste gerou 29.978 (+0,98%), terceiro melhor resultado para o mês e o Norte com 2.059 (+0,11%). A única exceção foi a região Nordeste, com queda de 1.628 postos de trabalho (-0,03%) por conta da sazonalidade do setor sucroalcooleiro no período.

O crescimento do emprego foi verificado em quase todos os estados brasileiros, sendo que Goiás com 18.676 postos (+1,59%) e Sergipe com 2.520 (+0,89%) apresentaram saldo recorde. Santa Catarina com 10.273 postos (+0,53%) e Amapá com 583 postos (+0,77%) apresentaram o segundo maior saldo para o período. Nas nove áreas metropolitanas o crescimento registrado foi de 0,31%, um acréscimo de 51.618 vagas formais.


Clique aqui e assista o vídeo da matéria.
http://www.youtube.com/watch?v=d2830A06hEM&feature=youtu.be 


Assessoria de Comunicação Social MTE
(61) 2031.6537/2430 acs@mte.gov.br




Notícias Anteriores


Terceirização foi tema na Fetiesc com o Ministro do Trabalho Manoel Dias.
Fevasc cobra do Ministro do Trabalho e Emprego mais agilidade na Regulamentação da Lei 12.740/12.
Juízes criticam PL que regulamenta a terceirização
Plenária Estadual em São Francisco do Sul
Aconteceu o Curso de Homologação em Criciúma
Secretaria da Mulher presente no dia Nacional de luta
Fevasc marcou presença neste dia de luta do Movimento Sindical e Social de SC. Dia 11 de Julho!
Dia Nacional de Luta com Greve e Mobilizações
Dilma pede aos sindicalistas sugestões para Plebiscito e não discute a Pauta Trabalhista
EMPREGADO COAGIDO A SE DESFILIAR DO SINDICATO SERÁ INDENIZADO

Página: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38