Notícias


Nestlé é condenada por terceirização ilegal de Trabalho

03/04/2013


A 5ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia manteve condenação à

Nestlé do Brasil – Nestlé Nordeste Alimentos e Bebidas, e à Duarte Recursos

Humanos pela prática de terceirização ilegal e outras irregularidades

trabalhistas, denunciada em ação civil pública movida pelo procurador Alberto

Balazeiro, do Ministério Público do Trabalho na Bahia.

A fábrica, que fica no município de Feira de Santana, havia sido flagrada 11

vezes pela fiscalização da Gerência Regional do Trabalho e Emprego

mantendo contrato com a empresa Duarte Recursos Humanos para a

terceirização de mão de obra ligada diretamente à sua atividade fim. A

sentença foi proferida pelo juiz Luiz Augusto Medrado Sampaio, da 4ª Vara do

Trabalho de Feira de Santana, e foi objeto de recurso das três empresas

acionadas.

O relator do recurso na 5ª Turma foi o desembargador Norberto Frerichs, cujo

voto teve aceitação unânime dos outros desembargadores. As três empresas

devem corrigir imediatamente as práticas ilícitas e pagar, solidariamente,

indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 100 mil ao Fundo de

Amparo ao Trabalhador.

A Nestlé deverá cumprir ainda outras determinações. Além de nunca exigir

mais do que duas horas extras por dia de seus empregados, terá que dar

folgas durante feriados. A Justiça também condenou a multinacional a garantir

intervalo mínimo de 11 horas entre cada jornada, pausa de 15 minutos para

quem trabalha menos de seis horas e de uma hora para jornadas acima desse

limite.

A empresa está impedida de contratar trabalhadores terceirizados para

atividades continuadas da produção. Se houver descumprimento da sentença,

haverá cobrança de multa de R$ 50 mil por cada dispositivo que for

desconsiderado. Ainda cabe recurso no Tribunal Superior do Trabalho. Com

informações da Assessoria de imprensa do TRT-5.

Fonte: Revista Consultor Jurídico




Notícias Anteriores


Movida 2013
Centrais lançam o 1º de Maio Unificado de 2013
Governo teme impacto de desaposentadoria, mas autor de proposta não vê risco
Vigilante incapacitado por disparo da própria arma receberá indenização por dano moral
Preço da cesta básica aumenta 20% em Florianópolis no último ano
INSS: mortes por acidente de trabalho aumentaram 11,4%
Nestlé é condenada por terceirização ilegal de Trabalho
Presidente da Fevasc participa de Movimento Sindical na FETIESC, com Deputado Pedro Uczai (PT/SC) e Senador Paulo Paim (PT/RS)
Ato Público do Movida acontece em Criciúma
Reajuste do salário mínimo catarinense é aprovado em Plenário

Página: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37